quarta-feira, 20 de abril de 2016

Você e seu médico - Nova Zelândia






Um guia para seu relacionamento com seu médico.

Para que você tenha o melhor atendimento possível, você e seu médico precisam "trabalhar" juntos.
O relacionamento que você desenvolve com o seu médico é muito importante, ele precisa ser baseado em confiança mútua, comunicação clara, honestidade e respeito. Claro de ambas as partes.
Escolhendo um GP (explicacão logo mais abaixo) e então consultando sempre com ele, dá a ele a oportunidade de conhecer sobre você e sua saúde, e providenciar um melhor atendimento. E do mesmo jeito, você passa a conhecer melhor o seu médico.


Escolhendo um médico

O Conselho Médico da Nova Zelândia, aconselha que você escolha um GP.

O que é um GP?

GP = General Practitioner = Clínico Geral

També conhecido como médico da família. Eles cuidam da sua saúde geral, e quando você tiver algum problema específico, eles te encaminham para especialistas (pediatra, dermatologista, oftalmologista, etc). Você não é obrigado a ver seu GP antes de ver um desses especialistas, mas o Conselho de Medicina da Nova Zelândia, recomenda que você passe pelo GP antes, pois eles são treinados e podem resolver seu problema sem que você precise pagar mais caro pra ver um especialista. E existem alguns especialistas que só aceitam te atender após receberem um encaminhamento.


Como encontrar um GP?

- Pergunte a familiares e amigos.
- Pergunte em grupos e comunidades.
- Consulte a lista de GP's que o Medical Centre de sua cidade oferece. 

Em Queenstown temos:

1 - Queenstown Medical Centre 
9 Isle St (no centro), 03 441-0500

2 - Arrowtown Medical Centre
Berkshire St, Arrowtown, 03 450-1355

3 - Remarkables Park Medical centre
Level 2, 12 Remarkables Park, 03 450-9199

Esses 3 são da mesma rede, ou seja, quando se registra em um deles, tem acesso aos serviços dos três. E você pode ter acesso a lista de médicos e enfermeiras nesse link: www.qmc.co.nz/team/doctors/

4 - Wakatipu Medical Centre
11 McBride St, Frankton, 03 442-2288
Lista de médicos: www.wakatipumedical.co.nz/staff.html

5 - Mountain Lakes Medical
38b Gorge Road, 03 442-7188
Lista de médicos: www.mountainlakesmedical.co.nz/our-team/


O que você deve levar em consideração na hora de escolher seu GP:

- Localização.
- Dias e horários que ele trabalha.
- Custo.
- Sua preferência pessoal, como por exemplo, você pode preferir uma mulher, pode preferir alguém que fale a sua língua.
- Você pode considerar també questões religiosas e de crenças. Alguns GP's por exemplo por questão de religião são contra o aborto, contra métodos contraceptivos, etc.

Para saber se o seu GP é registrado no Conselho Médico da Nova Zelândia, consulte: www.mcnz.org.nz

Óbviamente seu GP não poderá te ver 24 horas, ou seja, quando você precisar. Então converse com ele(a), e pergunte quem ele(a) indica, caso você precise com urgência e ele(a) não esteja disponível. Se não for urgente, aguarde até o dia que tem vaga no seu GP.



Preços e consultas

Antes de marcar uma consulta, pergunte o valor da mesma.

Pergunte qual o tempo médio de atendimento, se você deseja mais, pergunte quanto mais pagará por isso.

Se deseja uma consulta em família, pergunte o valor por essa consulta.

Normalmente os preços das consultas incluem: pedidos de exames, preenchimento de formulários e encaminhamentos. Mas é bom perguntar se o GP que você escolheu não cobra extra por isso. 

Exames como preventivo, por exemplo, tem um custo extra.

Cada GP normalmente tem uma enfermeira, que vai entrar em contato com você, caso necessário, a pedido do seu GP. Se você tiver uma consulta com a enfermeira, por exemplo, pra um curativo, você precisa pagar por isso. Geralmente é metade do valor do médico.

Lista de preços para Queenstown Medical Centre, clique aqui.


O que esperar do seu médico?

1 - Bom atendimento médico

- Sua saúde e segurança tem que ser a primeira preocupação do seu médico.
- Seu médico tem que escutar você e te perguntar 
sobre seu histórico médico.
- Ele(a) talvez precise examinar você fisicamente.
- Quando necessário, ele(a) precisa providenciar tratamento especial ou exames pra você.
- Te encaminhar para um especialista, quando necessário.

2 - Respeitar a sua privacidade:

- Suas conversas com seu médico são totalmente privadas, mas às vezes será necessário compartilhar suas informações com outros médicos, enfermeiros ou hospitais, com o ACC.
- Claro que você pode escolher em ver seu médico em privado ou então ter alguém mais presente. Por exemplo, aqui na Nova Zelândia, sempre que um médico homem precisa examinar as partes íntimas de uma mulher, ele chama uma enfermeira para estar presente durante a examinação.
- Se o seu médico quiser compartilhar informações suas com outras pessoas, ele precisa te explicar o motivo. Muitos médicos pedem para que você assine um termo concordando.

3 - Serviços:

Seu GP pode providenciar:

- Rastreio de doenças sem sintomas óbvios.
- Cuidado para doenças agudas.
Cuidados e conselhos em caso de doenças crônicas.
- Cuidado para saúde mental.
- Conselhos sobre estilo de vida: alimentação, exercícios, etc.
- Check ups para o trabalho.
- Vacinação para viagens ao exterior.
- Vacinação para prevenção de doenças.
- Diagnósticos.
- Atestado médico, para ausência ao trabalho.
- Etc.

4 - Resultados de exames:

- Se você precisar fazer exames de sangue, urina ou qualquer outro, pergunte ao seu GP sobre esse processo. Quanto tempo demora o resultado? Como você terá acesso ao resultado?

IMPORTANTE: Sempre que eu faço exames, no laboratório, eu peço para a atendente que encaminhe uma cópia dos resultados para o meu endereço.

- Alguns médicos irão entrar em contato mesmo que os resultados sejam normais, outros (a maioria), apenas entra em contato se os resultados não estão normais.

- De qualquer forma, você pode telefonar para a enfermeira do seu médico e perguntar sobre o resultado.

5 - Comunicação clara:

- Seu médico precisa te contar tudo que é necessário que você saiba sobre sua saúde, de forma muito clara. 
(Se você não fala inglês fluente, aconselho que você leve alguém de sua confiança, para que traduza.)

- Seu médico precisa te informar qual a sua condição médica, e conversar sobre procedimentos, tratamentos, quais as opções que você tem, incluindo ajudas de benefício como por exemplo o ACC. Ele precisa te contar sobre os riscos, efeitos colaterais, custos, etc.

- É muito importante que você esteja muito bem informado sobre qualquer tratamento, procedimento ou cirurgia que venha a se submeter. (Se você não entender, pergunte novamente, ou leve alguém para traduzir).

- É dever do seu médico também, fazer perguntas e se certificar que você entendeu.


O que o seu médico espera de você

1 - Seu histórico médico:

- Você deve contar ao seu médico todos os problemas de saúde que você já teve no passado. Pois isso pode influenciar na sua atual condição e/ou tratamento.

- Histórico médico da sua família.
- Cirugias que já fez.
- Suas alergias.
- Vacinação.
- Se fuma ou já fumou/usou drogas.
- Se bebe bebida alcóolica.

Você pode se sentir envergonhado ao contar alguma coisa, mas lembre-se que tudo que contar ao seu médico é confidencial.

2 - Seus sintomas e medicação:

- Antes de ir ao médico, escreva uma lista de sintomas e perguntas a fazer, para ter certeza que não vai esquecer de nada.

- Conte ao seu médico toda medicação que você está ou esteve tomando recentemente, incluindo pílula anticoncepcional, vitaminas, etc. Mesmo que seja algo natural. 

- Conte ao seu médico sobre qualquer tratamento que está tendo ou que pretender ter.

3 - Comunicação clara:

- Conte ao seu médico todos os motivos da sua visita.

- Conte sobre qualquer cultura ou crença relevante, que possa afetar seu tratamento.

- Se você tiver a impressão que seu médico não entendeu algo que você disse, ou entendeu de maneira diferente, diga isso novamente, para ter certeza que ele entendeu exatamente o que você quis dizer.

- Se você aceitou o conselho e/ou tratamento do seu GP, mas por algum motivo não vai segui-lo, é seu dever comunicar isso a ele.

- Conte ao seu médico se você não estiver feliz sobre alguma coisa (a consulta, tratamento, examinação, etc).


Terminando o relacionamento 
médico-paciente

Você pode decidir trocar de médico. Se você fizer isso, peça ao seu médico que encaminhe todo o seu histórico médico para o novo médico.

É raro, mas pode acontecer de um médico se negar a ver um paciente. Mas mesmo nesse caso o médico deverá passar o histórico médico do paciente para o novo médico.


Consentimento informado

Isso é muito importante, você precisa ter informação completa e tempo para pensar antes de se decidir por um serviço e/ou tratamento.

Em situações de emergência, cuidados e tratamentos podem ser dados sem o seu consentimento.

Pacientes incapazes de tomar decisões, seja por inconsciência, demência, medicação e etc, terão outra pessoa nomeada a tomar decisões pelo paciente. Isso pode ser feito e decidido por um advogado. 

Pais tomam decisões por menores de 16 anos.


Direitos dos pacientes

Como os médicos têm códigos de ética, pacientes também tem códigos de direitos (the Code of Health and Disability Services Consumer' Rights)

- Informação completa e explicações que você consiga entender.
- Ser informado de todos os custos: consultas, prescrições, especialistas, exames, etc.
- Privacidade: você tem o direito de conversar com o seu médico sem que ninguém esteja ouvindo.
- Procurar uma segunda opinião médica.
- Reclamar se você tiver algum problema com o seu médico. Você pode contactar o Health and Disability Commissioner's office no 0800112233.


Fronteiras entre pacientes e médicos

Por vezes, você e seu médico precisarão conversar sobre informações muito confidencias. Seu médico poderá precisar examinar áreas de seu corpo que possam te deixar com vergonha e desconfortável. Por exemplo: exames vaginais, anais, seios. Então seu médico deverá primeiramente te contar porque a examinação é necessária e como vai ser. Você sempre deverá dar o seu consentimento antes de qualquer examinação.

Quando essas examinações são necessárias, seu médico irá:

- Deixar você sozinho para se despir, a menos que você precise de ajuda.
- Manter você o mais coberto possível durante a examinação.
- Usar luvas apropriadas.
- Ir explicando o que está fazendo e porquê.

Se você não estiver gostando do que o médico está fazendo, você pode pedir a ele que pare em qualquer hora. Conte a ele se você não estiver se sentindo confortável.

- Se você e seu médico não forem do mesmo sexo, ele(a) chamará uma enfermeira para estar junto na hora do exame.

- Você pode também levar uma amiga ou alguém da família.

- Seu médico só pode fazer perguntas sexuais, histórico sexual, atividades sexuais ou preferências sexuais, se tiver alguma relação com o seu problema em questão.

- Quaisquer cometários sexuais, piadinhas, ou algo do tipo, não podem ser aceitos nunca.


Registros de pacientes

- Você pode ver ou ter cópias de seus registros e históricos médicos quando quiser. Se algum médico fizer alguma restrição de seu acesso aos registros, ele deve te explicar o porquê.

- Em alguns casos, será necessário pagar por algumas cópias, principalmente se utilizarem CD's ou DVD's.

- Um médico deve manter seus registros e históricos por ao menos 10 anos. 

- Se você quiser mais informações sobre isso, ligue para 0800803909

Em alguma consulta, você pode ser perguntado se autoriza um médico aprendiz a fazer parte da sua consulta. Você tem o direito de dizer sim ou não. Se disser não, isso não vai afetar em nada na sua consulta ou tratamento.

Eu já passei por isso, e então o médico aprendiz me consultou primeiro, e depois a minha GP chegou e o aprendiz contou tudo a ela e ela lhe perguntou qual o tratamento ele deveria me recomendar, tipo testando ele.


Medicina na internet

Tome muito cuidado com pesquisas na internet. Tenha certeza que está pesquisando em sites seguros, com códigos de conduta e tudo o mais. Lembre-se que quando pesquisar em português, nem sempre vai ser o mesmo em inglês, nem sempre vai ter o mesmo tratamento disponível na Nova Zelândia.

Fonte: https://www.mcnz.org.nz/assets/News-and-Publications/Booklets/You-and-your-doctor.pdf


Quando você passa a ter direito a saúde pública na Nova Zelândia?

Essa é uma pergunta muito frequente, então eis aqui a resposta:

Guia de elegibilidade para os serviços de saúde e de invalidez com financiamento público.

Elegibilidade:

Uma pessoa que possua um visto de trabalho que:

lhe dá direito a permanecer na Nova Zelândia por dois anos ou mais (iniciando a contagem do primeiro dia da pessoa na Nova Zelândia)

OU

lhe dá o direito de permanecer na Nova Zelândia por um período de tempo especificado que, juntamente com o período de tempo que você já esteve legalmente na Nova Zelândia, permite uma estadia contínua total de pelo menos dois anos.

Exemplo: Você chegou na Nova Zelândia em fevereiro de 2016, e conseguiu um emprego e ganhou um visto de 1 ano. Em Fevereiro de 2017, você renova seu visto e ganha visto para mais 1 ano. Então no seu passaporte, você já vai somar 2 anos de visto, então em fevereiro de 2017 você já passa a ter direito a saúde pública, porque soma o tempo que você já ficou (1 ano) + o tempo que você ainda vai ficar (1 ano), que é igual a 2 anos.

P.S.: Uma mulher grávida que não tenha os 2 anos exigidos, pode ainda ter o direito, se o marido/parceiro já tiver o direito.

Fonte: http://www.health.govt.nz/new-zealand-health-system/eligibility-publicly-funded-health-services/guide-eligibility-publicly-funded-health-services-0/work-visa-holder-eligible-be-nz-two-years-or-more

Lembrando que você precisa se registrar em um Medical Centre, para que então eles possam te dar o desconto público. Consiste em preencher uma ficha com dados pessoais, e fornecer cópia do passaporte e visto.


Pessoal, por hoje é só, mas já tenho no rascunho uma segunda postagem sobre médico/medicina na Nova Zelândia. Aproveite também e deixe seu comentário com perguntas, assim eu posso incluir na próxima postagem.


E quero deixar meu agradecimento e mandar um beijo especial para Cíntia e Marília (foto).






quarta-feira, 13 de abril de 2016

Rarotonga - Cook Islands (Ilhas Cook)



Kia Orana,

As Ilhas Cooks são um conjunto de 15 ilhas, tendo entre elas 2 mais famosas: Rarotonga e Aitutaki.




Viajamos para Rarotonga por 1 semana, 
em janeiro de 2016, e eu vou contar pra vocês como foi essa viagem maravilhosa :)

P.S.: A moeda oficial das Ilhas Cook é o dólar neozelandês. Mas também se encontra por lá as cook islands coins.





Dia 1

Fuso horário é uma coisa interessante né? A gente já fica admirado quando sabe que a Nova Zelândia está 15hs a mais que o Brasil, então imagine o nó inicial na minha cabeça quando soube que as Ilhas Cook ficam 23hs atrás da Nova Zelândia?

Saímos da NZ dia 18 e chegamos em Rarotonga dia 17.



Chegamos lá às 9:45 da noite, e passamos tranquilamente pela alfândega. Recebemos um colar de flores, uma garrafa de água (da chuva) e uma toalha. Recebemos indicações sobre o nosso transfer pro hotel e seguimos. Ventava bastante, pois tinha acabado de passar um tufão por lá. Chegamos no Edgewater Resort, fizemos o check in e fomos direto para o quarto. Adoramos esse Resort e super indicamos ele. Mas uma coisa que você precisa estar ciente, principalmente se você mora na ilha sul da Nova Zelândia, é que lá tem maresia, que é uma coisa que nós estávamos bem desacostumados, pois não tem aqui na ilha sul. Porque é praia, é uma ilha, então, mais do que normal a maresia.







Dia 2

Tomamos café no resort, pois o café da manhã é incluso na diária. Andamos pelo Resort para conhecer, e também pela praia em frente ao mesmo. Ao meio dia pegamos o carro que tínhamos alugado, pelo qual pagamos $200nzd, por 3 dias. A locadora de carros e motos fica localizada dentro do Resort, a Polynesian Rental Limited.



Tínhamos lido na internet que se dá a volta na ilha toda, de carro, em 35 minutos, então fomos fazer isso :)

Paramos em Avarua, onde tem a polícia, mercado, lojas, tipo um shopping, farmácia e etc. Everton foi até a polícia para fazer a carteira de motorista de Rarotonga, conforme tinham nos indicado, mas os policiais falaram que não era preciso para carro, pois ele já tem a carteira da NZ, seria preciso apenas para moto. Procuramos um local para comer, e achamos um restaurante indiano horrível, eu particularmente odeio comida indiana, mas como a fome era muita e era o único lá, resolvi ir, mas só joguei dinheiro fora. Concluimos que Avarua é um centro mais pros locais e não pros turistas. E é super suja também.

Continuamos nossa volta na ilha, e ficamos super admirados com a quantidade de cemitérios em toda a ilha. Tem cemitérios nas casas; nos pátios das igrejas, bem na frente mesmo, ao lado da calçada que você anda para entrar na igreja  É porque eles enterram os seus entes queridos nas suas próprias terras.



Outra coisa que nos chamou atenção também, é a grande quantidade de cachorros de rua, soltos pela ilha toda. Assim como alguns outros animais também, galinhas, gatos, etc. No resort tinha várias galinhas soltas pelos pátios.

Eles também queimam seus lixos, como se fazia antigamente no Brasil.

Existe muita igreja também, são cerca de 35 igrejas na pequena ilha de Rarotonga.

O que é lindo de se ver são as árvores frutíferas pela ilha inteira :) E claro, um número disparado de coqueiros!

A noite comemos na Spaghetti House, que é um dos 2 restaurantes do Resort. Comida deliciosa.


Dia 3

Café da manhã no Resort, e compramos alguns passeios, que são vendidos na locadora de carros também. É importante lembrar, que menores de 5 anos não pagam pelos passeios. Quando fizemos a cotação dos passeios na agência, eles cotaram também pro Davi. Por sorte, resolvemos não comprar no pacote e deixar pra comprar lá, por causa das condições do tempo. Fomos passear na Muri Beach, muito linda essa praia e sinal verde para tomar banho. Porém, em todas as praias da ilha, eu indico que usem o reef shoes, o tênis adequado para andar nos coráis sem machucar os pés. 


SUPER IMPORTANTE: Tem que se tomar muito cuidado com o stonefish, se você pisar nesse peixe, que parece uma pedra com coráis, você vai arruinar as suas férias, e ficar super mal, pois ele solta um veneno. Ele é um dos peixes mais venenosos que existe. Mas fique tranquilo, que ele não vai sair correndo atrás de você. Você é que precisa tomar cuidado para não pisar nele. Ele faz camuflagem. Eu aconselho você a pesquisar sobre esse peixe antes de ir.

Quando fizemos snorkeling eu vi um, claramente, pois ele estava num local onde só tinha areia e não tinha pedras e coráis ao redor. Avisei o Everton que estava com o Davi, e as pessoas que estavam por perto e todos fomos para longe. Alguns curiosos chegaram um pouco perto para ver e depois saíram.

Almoçamos um fishburger. Que se encontra em quase todos os estabelecimentos de refeições, na ilha.

IMPORTANTE: Água é super cara lá, na verdade tudo é caro, mas a água achei meio absurdo. Nos resorts é mais ou menos $7.50 uma garrafa de 500ml, enquanto a lata de coca-cola custa $6. Então fizemos o seguinte, comprávamos água no mercado (mais barato) e pagávamos $5 por uma garrafa de 3 litros, e enchiámos as nossas garrafinhas.

INTERNET: O resort oferecia pacotes de wifi, porém achamos muito caros ($20 por 100mb, que eu lembro, mas me esqueci os outros valores, hehe, mas são super caros). E você pode usar dentro do resort. Então nesse terceiro dia descobrimos um tipo de wifi que fica disponível em vários pontos da ilha. No caso você paga por uma determinada quantidade de megas, e quando estiver perto desses pontos de wifi, pela ilha, pode usar :)



E também encontramos uma lan house.

Aproveitamos a piscina do hotel, e fomos nos arrumar para ir pro jantar do Te Vara Nui. Gente, vale muito a pena. Tem 3 opções de pacote, nós escolhemos o pacote completo, o Combo Extravaganza. Aprendemos muito sobre as Ilhas Cook, Rarotonga, os maoris Cook Islands, e tudo sobre cocos :) 

E desfrutamos de um buffet maravilhoso, com muita variedade de comida e comida típica da ilha também.







Dia 4

Eu não sei se era por causa do fuso horário, mas todos os dias sempre acordamos muito cedo. Nesse quarto dia por exemplo, eu acordei as 6:47 da manhã. Fechei os olhos e tentei me concentrar pra dormir de novo, mas não deu. Eu disse: C'mon Luana Karina, você está de férias! Mas não teve jeito.

Tomamos café e fomos pra outro passeio, o Koka Lagoon Cruise, amamos essa experiência, demais mesmo :)





É onde tem o Rei do Coco.



Após esse passeio, fomos conhecer a única cachoeira de Rarotonga, a Wigmore's Waterfall:



Comemos um burger e tomamos um suco natural numa lanchonete em containers




Fomos pro resort fazer snorkeling, uma das melhores sensações que eu já tive na vida, nadar com os peixes, lindo demais. Os equipamentos são todos grátis para os hóspedes do resort.






A noite, jantamos num restaurante de outro resort, o The sands. Gostamos muito também desse restaurante. Pegamos um combo que vem 2 pizzas grandes + batata-frita + 1 refrigerante de 1.25l.

Andamos na beira da praia em frente ao resort a noite, e vimos os peixes brilhando na água.





Dia 5


Como hoje seria o dia de entregar o carro, tomamos café no resort e fomos dar a última volta na ilha (de carro). Fomos no gift shop, tudo muito lindo e a maioria feito a mão por locais, porém tudo caro. Voltamos e entregamos o carro e ficamos por lá, aproveitando o resort. Fizemos snorkeling novamente, também aproveitamos a sala de jogos. Tem o kids club, que o Davi não quis ficar em momento algum, hehe. A comida do restaurante de dentro do Resort também é muito boa. O spaghetti house fica na entrada do Resort. Também compramos algumas coisinhas no gift shop do próprio Edgewater.









Dia 6

Nesse dia fizemos o Raro Safari, que no caso é um passeio por dentro da ilha, na mata e montanhas.



A tarde ficamos aproveitando o resort novamente: snorkeling, praia, piscina, sucos, comida, boa vida :D

A noite fomos jantar no super recomendadíssimo Tumunu Restaurant, que fica a 100 metros do Resort.



Depois aproveitamos nossa última noite :( naquele paraíso.


Dia 7

Fomos de ônibus até na feira, que acontece todo sábado, com várias barraquinhas de comidas, frutas, bebidas, vendas de frutas e produtos locais, etc. Tem apenas 2 ônibus: o clockwise (sentido horário) e o anticlockwise (sentido anti-horário). Aproveitamos ao máximo as últimas horas lá, com o coração bem apertado, morrendo de vontade de ficar mais. Pegamos o vôo a noite, também as 9:45.


Essa foi uma das melhores férias das nossas vidas, amamos Rarotonga, amamos a nova cultura que aprendemos, as pessoas são super receptivas, amamos conhecer aquele povo. Eu fiquei admirada de como o povo de lá respeita suas próprias crenças, e realmente pratica aquilo que acredita. Eles sempre oram antes das refeições, até mesmo nos passeios que oferecem almoço. Antes de liberar a comida, eles oram. Eu sempre acho que ao invés de voltar em algum lugar, devemos ir conhecer um novo lugar. Mas eu confesso que Rarotonga tem gostinho de quero mais.

Única coisa que lamentamos é que não fomos conhecer Aitutaki, que tem uma das mais lindas lagoas do mundo. Você não precisa ficar hospedado em Aitutaki, pois lá é super caro, bem mais caro que Rarotonga. Você pode fazer um tour de um dia lá, partindo de Rarotonga, vai pela manhã e volta a noite. Você encontra informações e vídeo sobre esse tour, clicando aqui. E também pode dar uma olhadinha na postagem do blog Viajoteca, sobre Aitutaki, clicando aqui. Nós não fizemos esse tour porque o tempo não estava bom, e ficamos acompanhando e vendo que o tufão que tinha passado por Raro, estava passando pelas outras ilhas também. Então achamos melhor não fazer.


Para mais dicas sobre Rarotonga, clique aqui.

E você pode também acessar outros links:

Vídeo belíssimo sobre Rarotonga

Mais fotos dessa viagem

Um guia de viagem bem completo

Mais passeios na Nova Zelândia

E não esqueçam de curtir minha página no facebook:
www.facebook.com/luanakarinakay/