terça-feira, 28 de julho de 2015

De motorhome pela Ilha Sul - Nova Zelândia

Clique nas palavras em 
rosa para ter acesso 
aos links e ver as fotos.


Bom gente, eu aluguei o motorhome 4 meses antes da viagem, e por isso tive um bom desconto. Preferi um mauí, por ser o modelo mais novo, e o único a ter aquecimento 24 horas. Infelizmente, apenas em Queenstown, eles cobram uma taxa extra, por se tratar de uma localização remota, que eles precisam pagar um motorista para trazer os motorhomes pra cá. Mas mesmo eu pegando e devolvendo em Queenstown, essa taxa foi cobrada. 





Eu comecei o planejamento de toda viagem mais ou menos um mês antes, pesquisei muito na internet, comprei um mapa grande de papel, fiz todas as anotações e planejamentos, e baixei o app da Mauí. Mas mesmo assim, não saiu tudo conforme o planejado. 

Os bookings dos campings, eu fiz apenas para os dois primeiros dias, pois consultei online e vi que tinham poucas vagas aqui na área de Fox Glacier e Westport. E não quisemos ficar em campings não pagos, pois não achamos seguro, eram no meio do mato, sem iluminação. Mas em cidades como Nelson por exemplo, tem locais iluminados e mais seguros, que se pode ficar de graça overnight, como por exemplo o New World Supermarket.

Conheça todo o motorhome por dentro clicando aqui.


Primeiro dia

Queenstown para Fox Glacier

Estava marcado para pegarmos o motorhome as 8am, e dai planejei sairmos de Queenstown as 9am. Mas já de início não foi assim. Chegamos para pegar o motorhome as 8:30, e tem um monte de papéis para assinar, eles mostram todo o motorhome por dentro e o funcionamento. Voltamos para casa por volta das 10:00, e começamos a carregar nossas coisas para dentro do motorhome. Não lembro que horas eram quando saimos de casa e fomos até o Mc Café comer alguma coisa, só sei que saímos de Queenstown as 12:15, rumo a Wanaka.

Wanaka - os planos pra Wanaka eram ir no Puzzling World e no Museu de Brinquedos e Transporte. Mas acabamos indo apenas no puzzling.

Seguimos até o Lake Hawea, e fizemos lá um BBQ.



Lake Hawea


Após o bbq, quando fui lavar a louça, descobrimos que estávamos sem água. Ligamos para a assistência 24 horas e eles nos deram indicações para tentar arrumar, mas não resolveu. Então ele nos pediu para irmos até o camping e lá colocar mais água no container e ver se funcionava.

Eu liguei para o camping e avisei que iriamos chegar tarde, quando a recepção já estivesse fechada, e então ele disse que deixaria uma carta para mim na porta da frente.

Gente pra início de conversa, as coisas não sairam como o planejado, porque o motorhome não anda na mesma velocidade de um carro, óbvio que eu já imaginava isso, mas eu achei que a diferença fosse muito pouca, mas não é; pelo menos não foi. Demoramos muito no trajeto de Lake Hawea até Fox Glacier. Trechos totalmente escorregadios, com muita montanha pra subir e descer. A noite, muito escuro. Sem sinal nenhum de celular. Aliás, eu não sabia que tinha tanta parte na NZ, sem sinal de celular, fiquei surpresa com isso. Algumas áreas o meu que é da Spark tinha sinal, mas o do Everton não, que é Vodafone. Em outras áreas era o contrário, e em algumas, nem um dos dois, totalmente sem sinal mesmo.

Chegamos ao camping quase 9pm. Ficamos no Fox Glacier top 10 Holiday Park. Amamos o camping, foi o melhor da viagem inteira, tudo muito limpinho e organizado. Banheiro quentinho, tem até piso aquecido. Eu super recomendo esse camping. Para ver as fotos do camping, clique aqui.

Como o planejamento estava todo atrasado, tivemos que passar direto pela Blue Pools e Fantail Falls, pois já era noite. No inverno as 5 da tarde já é escuro.


Segundo dia

Fox Glacier para Westport

Ligamos para a assistência novamente para informar que mesmo colocando mais água a bomba não funcionou, então ele nos mandou ir num mecânico ali em Fox Glacier mesmo. Ficamos um tempão no mecânico e ele arrumou a bomba e voltamos a ter água.

Passamos rapidamente por Franz Josef, e paramos no Whataroa River, para fazer um bbq para o almoço.


Whataroa River



Paramos no Lake Ianthe para conhecer e tirar umas fotos.


Lake Ianthe


Passamos a noite pela praia das panquecas (Punakaiki) e não conseguimos ver nada. 

Seguimos para Westport, onde passamos no mercado e fomos para o camping. Westport Holiday Park + Motels (não gostei muito desse camping).


Terceiro dia

Westport para Blenheim

Gente planejamos sair cedo e ir pro Blue Lake (o lago de águas mais cristalinas do mundo) e colocamos no GPS. Estranhamos um pouco o caminho, mas seguimos. Gente do céu, fomos parar no meio do nada, estrada de chão, sem sinal de celular, totalmente perdidos, e estávamos com combustível para uns 35km. E não achamos lago nenhum. Colocamos no GPS para ir pro próximo posto de gasolina. Chegamos lá e abastecemos.

Paramos num restaurante para almoçar, e conversando com um cara lá, ele nos disse que o Blue Lake a gente vai até lá onde fomos e depois são dois dias caminhando para chegar no lago. Explicado! Fomos ao local certo, só faltaram os dois dias de caminhada, hehehe. Eu não tinha lido sobre isso nas minhas pesquisas, porque o google me mostrou outro lago como sendo o Blue Lake, mostrou o Rotoiti, que também fica em Nelson Lakes National Park.

Então após o almoço seguimos viagem para o Lake Rotoiti, que já conhecíamos, e por causa do google achávamos que era o Blue Lake.

Ficamos um tempo lá, mas tava muito frio, tudo nublado. Liguei pra um camping em Blenheim e fiz o booking. Partimos então pra Blenheim. Ficamos no Blenheim top 10 Holiday Park.

Gente que emoção chegar em Blenheim :)
Onde tudo começou, onde começou a nossa história na Nova Zelândia. Fizemos o check-in no camping e fomos passear pela cidade. Passamos pela casa onde moramos, pela estação de ônibus onde chegamos, mercados, lojas, padaria, etc. Ficamos relembrando tudo. Lembramos do dia que estávamos esperando o pagamento entrar para podermos comer no McDonalds e o pagamento não entrou :( Entramos na the warehouse, no mercado, tudo uma emoção :)


Estação de ônibus em Blenheim


Fizemos um bbq para encerrar a noite.


Quarto dia

Picton para Kaikoura

Acordamos e fomos pra Picton. Passamos o dia todo lá. Tomamos café, almoçamos, fomos no aquário, Ecoworld Aquarium, exploramos bem a cidade, que é muito linda.


Picton


Picton


 O mini golf que fomos em 2009 estava fechado. 

Na volta pra Blenheim, fomos na Rarangi Beach e Monkey Bay. Tem um ponto na Monkey Bay, que dá pra ver a Ilha Norte a olho nú, se o dia não estiver nublado.


Rarangi Beach


Monkey Bay

Clique nos links (em rosa) da Rarangi Beach e Monkey Bay para ver mais fotos.

Dessa vez não deu para ir na Whites Bay, que fomos em 2009. Mas eu fiz o link sobre 2009 para que vocês possam também conhecer, porque é uma baía linda e vale a pena ir lá. Basta clicar no whites bay em rosa.

Voltamos para Blenheim, fomos na the warehouse novamente, tomamos um café e então decidimos partir para Kaikoura e já acordar lá.

Fizemos salmon assado para janta, uma delícia :)

O camping era muito legal também, tinha até sala de jogos com mesa de sinuca e ping-pong. Era também um top 10.


Quinto dia

Kaikoura para Christchurch


Tomamos nosso cafezinho e fomos pra Seal Colony ver os leões-marinhos. Foi uma das melhores partes da viagem inteira. Gente é demais lá, é lindo, ver os leões-marinhos é magnífico. É linda a colônia.




Seguimos viagem para Christchurch e no meio do caminho paramos para almoçar, tarde já, por volta de 2 da tarde. Não sei dizer o nome da área de recreação que paramos. É incrível como é difícil ter sinal de celular viajando, o sinal volta mesmo quando se chega nas cidades.

Chegamos ao camping super cedo, fizemos o check-in e fomos pro shopping, K-mart e etc.


Sexto dia

Christchurch para Lake Tekapo

Pela manhã fomos pro Orana Wildlife Park, já tínhamos estado lá duas outras vezes, uma vez em 2010 sozinhos, outra em 2013 com Davi e agora nessa viagem.

Em 2010, nós fomos também no Antarctic Centre.

A tarde passeamos por Christchurch e por algumas lojas.

A noite seguimos para o Lake Tekapo, para passar a noite lá. Ficamos num lugar gratuito. Chovia e ventava muito, tivemos que mudar a posição do motorhome porque parecia que o vento ia derrubá-lo. Chegamos tarde e fomos dormir.

Sétimo dia

Lake Tekapo para Queenstown

Exploramos um pouco o Lake Tekapo, batemos fotos, e seguimos viagem rumo a Queenstown.


Lake Tekapo


Paramos na fazenda de salmon, e em Lindis Pass.


Lindis Pass


Lindis Pass


Lindis Pass


Chegamos em Queenstown, e descarregamos todo o motorhome, para entregá-lo até as 3pm.


P.S.: No dia seguinte pela manhã, nos ligaram da agência informando que tínhamos esquecido um dvd. Passamos lá pra pegar, e somente 2 dias depois me dei conta que esqueci as coisas que estavam dentro dessa gaveta (foto abaixo). (Meu manuka mel super caro, um milo gigante, 1 vidro de azeite de oliva, sal e bananas)  Entao fui até lá pra ver se conseguia recuperar e disseram que nao era possível, que quando se esquece alguma coisa assim, tem que ligar na hora, no mesmo dia, senão eles colocam no lixo. Então eu perguntei: e quando me ligaram informando que eu tinha esquecido o dvd, porque não falaram dessas coisas também? Ela disse: não sei! =/////




Gostamos muito da viagem, mas aconselhamos a quem quer fazer o mesmo trajeto, ou viajar pela ilha sul de motorhome, a fazer isso com mais de 7 dias. 

Qualquer pergunta, deixem nos comentários :)







Um comentário:

  1. Luana!Fizemos praticamente este roteiro que voce falou, com a diferença de que entramos em Picton (vindo da Ilha do Norte, descemos até Christchurch e de la fomos ate Queenstown, mas primeiro fomos ate o Mount Cook - e de Queenstown fizemos o roteiro que voce relata. Pena que vocês passaram a noite por Punakaiki - é linda, com suas rochas recortadas pela ação dos ventos. Também alugamos um motorhome na Maui..rsss foi a melhor viagem da minha vida. Gastamos quase 30 dias para fazer as duas ilhas...amamos muitos lugares que - se tivessemos ido naquela época ( 2002) apreciariamos viver...Mount Monganui é um deles....Revivi New Zealand lendo você. Desejo toda felicidade do mundo pra ti. Se quiser me escrever, adoraria. Meu email é helenasaffer@uol.com.br - face helena saffer. Abraços e fique com Deus!

    ResponderExcluir