terça-feira, 24 de março de 2015

Quero morar na Nova Zelândia, mas não sei nada sobre a NZ!

Bom gente, pelo menos uma vez por semana eu recebo mensagens mais ou menos assim: Luana, ouvi dizer que a Nova Zelândia é um ótimo país para se morar, você pode me contar como é a Nova Zelândia, como se faz para morar ai, etc etc etc etc...

Então resolvi fazer uma postagem pra quem não conhece quase nada da Nova Zelândia, mas quer sair do Brasil e vir morar aqui.




Eis algumas coisas que você precisa saber sobre a NZ, para então decidir se quer vir ou não:

1- NÃO se pode permanecer no país ilegal. Nem tente fazer isso, porque você vai se dar mal. NÃO é como nos Estados Unidos que fica ilegal e depois se legaliza. Se você ficar ilegal aqui e tentar se legalizar depois, vão ver no sistema da imigração que você esteve ilegal e vão negar a sua permanência aqui. 


2- VISTOS - Para permanecer aqui, você vai precisar de visto. Todos os vistos, é possível aplicar estando no Brasil, ou seja, antes de vir. Se você não aplicar nenhum visto antes de vir, quando chegar no aeroporto, na imigração, irão analisar seu caso, e se aprovado seu visto, irão colocar um carimbo no seu passaporte, que é um visto de turista/visitante, que te dá o direito de permanecer no país normalmente por 3 meses, em alguns casos pode ser dado menos tempo ou até mesmo o visto limitado, onde a imigração não acredita 100% que o visitante realmente tem intenções apenas de visitar, então por isso, ao invés de recusar a entrada da pessoa, e mandá-la de volta para o Brasil, eles emitem um visto limitado, que permite a pessoa entrar no país, fazer o que disse que veio fazer e no final do visto, partir da Nova Zelândia. Com esse visto não é possível, estender sua estadia (solicitar um novo visto de visitante) ou mesmo solicitar um outro tipo de visto.

O principais vistos são: 





  • VISTO DE FÉRIAS E TRABALHO (Working Holiday Visa): Todos os anos, geralmente em setembro [em 2015 já temos a data - 10am do dia 3 de setembro de 2015 - horário da Nova Zelândia], a imigração da NZ disponibiliza 300 vagas para brasileiros que queiram ficar 1 ano aqui na NZ. Passeando, se aventurando, férias, trabalhando (até no máximo 3 meses por empregador) e/ou estudando (máximo de 6 meses), ou tudo isso junto. No dia e hora marcado, os primeiros 300 que fizerem o cadastro tem direito ao visto, se obedecerem as regras. Algumas delas são: 
- Ter um passaporte brasileiro, válido no mínimo, três meses após a data planejada de saída da Nova Zelândia. 
- Ter entre 18 e 30 anos. 
- Obedecer as exigências financeiras (comprovar que possui NZ$4,200). 
- Não trazer filhos/parceiros. 
- Fazer exame de Raio X [Formulário INZ1096 - www.immigration.govt.nz/NR/rdonlyres/4F0B1B69-EDAF-4BF5-B973-566D39BF52D3/0/INZ1096.pdf] junto a um dos radiologistas credenciados pela imigração onde a pessoa estiver, seja no Brasil ou qualquer lugar do mundo e caso a pessoa já esteja na Nova Zelândia deverá, além do Raio X, fazer também um exame médico geral [Formulário INZ1007 - www.immigration.govt.nz/NR/rdonlyres/DE431E92-0ADE-4B5F-81F9-18DF08E5B2EA/0/INZ1007.pdf].

Mais informações em português - http://www.nzvisto.com/#!visto-de-frias-e-trabalho---whv/cf71 E para ler as informações oficiais diretamente da página da imigração - www.immigration.govt.nz/migrant/stream/work/workingholiday/brazilwhs.htm


P.S.: Todas as aplicações de visto são pagas, veja aqui os valores - www.immigration.govt.nz/migrant/general/formsandfees/officeandfeescalculator e é necessário apresentar toda a documentação requerida. A grande maioria dos vistos são renováveis, desde que o solicitante possua todos os requisitos.

FILHOS: de 0 a 5 anos precisam aplicar visto de visitante. De 5 a 16 anos precisam aplicar visto de estudante.

* Todas essas informações são corretas de acordo com a legislação e instruções da imigração na data de hoje 24 Março 2014. Revisadas por Peterson Fabricio - immigration adviser licenciado pelo governo da Nova Zelândia.

Para maiores informações sobre os vistos e para esclarecer suas dúvidas, consulte um Immigration Adviser: Peterson Fabricio (Brasileiro e Neo-Zelândes - fala inglês e português) - www.nzvisto.com


ATUALIZAÇÃO: Agora em Agosto de 2017, algumas leis referentes a visto estão para mudar. Se essas novas leis realmente entrarem em vigor, eu vou editar a postagem.

3- Nova Zelândia é um país caro! Mas por outro lado é um dos melhores países para se viver em termos de qualidade de vida: segurança, tranquilidade, baixíssimos níveis de violência (especialmente na ilha sul). Não venha para cá achando que você vai juntar rios de dinheiro e ficar rico. Mas pelo menos você vai ter uma vida boa, ótima qualidade de vida, vai sair na rua sem medo de ser assaltado. Nova Zelândia foi eleito o melhor país para se criar filhos. Leia este link 30 motivos para ir para a Nova Zelândia 


4- Se você chegou até aqui e compreendeu os ítens 1, 2, e 3, e está disposto a continuar, agora você precisa ter consciência que vai ter que se preparar muito bem financeiramente antes de vir. Vai ter que pesquisar muito a respeito da Nova Zelândia e esclarecer todas as suas dúvidas antes de vir. Isso tudo vai estar baseado na sua intenção de permanência no país. Apenas estudar, aprender inglês e conhecer o país; ou vir pra ficar?

Aqui tem uma simulação de planejamento financeiro para quem vem como turista e depois aplica a permissão de trabalho: VIVENDO EM QUEENSTOWN (Os valores das outras cidades não são muito diferentes). 


5- ESCOLHA SEU DESTINO: A Nova Zelândia é um país, dividido em duas ilhas: a ilha norte e a ilha sul. Com pouco mais que 4 milhões de habitantes, é um país muito bem estruturado. As cidades que mais tem brasileiros são: Auckland (ilha norte) e Queenstown (ilha sul). Pesquise sobre algumas cidades aqui e se por acaso você escolher Queenstown, dá uma olhada no Manual para viver em Queenstown


6- INGLÊS - Obviamente se você falar inglês fluente, vai se adaptar mais rápido ao país e também conseguir empregos melhores. Com inglês básico, se consegue praticamente emprego de cleaner (faxineiro(a), e olhe lá, porque não precisa falar com o público, mas precisa entender as ordens do patrão.


7- MORADIA: Normalmente quando se chega, tem que morar em casa compartilhada, especialmente por causa do tipo de visto. Você pode então alugar um quarto na casa de alguém, e ser flatmate dos donos (ou quem alugou a casa). Leia mais sobre isso clicando aqui em Aluguéis



8- PROCURAR EMPREGO: Quando chegar, você pode usar os jornais, websites e grupos do facebook para procurar emprego. Veja alguns nesse link Mandar currículos online ou entregar pessoalmente. Vai passar por entrevista e normalmente teste, para ser admitido.



9- SALÁRIO: O salário mínimo da Nova Zelândia é $14,25 por hora. Pode ser mais dependendo da profissão e do trabalho, mas nunca menos. (Valores em dólar neozelândes)


10- ESCOLAS (filhos): Saiba sobre isso clicando aqui


11- DIREITO À SAÚDE, EDUCAÇAO, etc: Você precisa ter 2 anos de visto ou ser estudante de PHD. Veja sobre isso aqui no link Você e seu médico, e compare os vistos aqui: https://www.newzealandnow.govt.nz/move-to-nz/new-zealand-visa/compare-nz-visa-types



12- Para se ter acesso a mais informações úteis sobre a Nova Zelândia, utilize os seguintes links:

Meu blog www.luanakarina.com, no menu Nova Zelândia você terá acesso a links úteis.

Blog www.ipartiu.net tem muita informação sobre a NZ

Na página www.mamaebrasileiraaotearoa.co.nz tem informações especiais para a família.

www.newzealand.com/br/


Você gostaria de receber uma bolsa de estudos do Governo da Nova Zelândia, para pós-graduação (especialização ou mestrado)? Então vai se familiarizando com os pré-requisitos... Em breve, as inscrições para ano acadêmico de 2016 estarão abertas. http://www.aid.govt.nz/funding-and-contracts/scholarships/eligible-countries/latin-america

A Immigration New Zealand disponibiliza ferramenta online especialmente desenvolvida para quem vai estudar, morar e trabalhar na Nova Zelândia. A NZ Ready vai te ajudar com o check list para bem planejar sua experiência no país 
http://nzready.immigration.govt.nz/?utm_source=immigration.govt.nz&utm_medium=referral#/


Lista de produtos proibidos ou que precisam ser declarados na chegada à Nova Zelândia: http://www.customs.govt.nz/features/prohibited/imports/Pages/default.aspx



Um guia para viver e trabalhar na NZ www.newzealandnow.govt.nz


Declaro aqui, que fiz essa postagem com a intenção de ajudar as pessoas, sem fins lucrativos. Não tenho agência de nenhum tipo, não trabalho como agente para nenhuma empresa. E quero agradecer a grande e importante colaboração do Peterson Fabrício. 

terça-feira, 17 de março de 2015

Minha experiência sobre ter filho na Nova Zelândia

Eu tenho um testemunho de cura para contar sobre a minha gravidez, os médicos disseram que eu não poderia ter filhos, mas Jesus me curou. Mas nessa postagem vou contar apenas sobre a gravidez.

Eu estava trabalhando no hotel, num dia normal, estava limpando um quarto que fica do lado de uma escada. E de repente ouvi um barulho, e quando olhei pra rua vi umas pernas se batendo, corri lá e uma senhora tinha caído da escada e batido a cabeça. Quando eu vi aquele sangue, fiquei super nervosa e comecei a ter uma cólica bem forte na barriga. E eu estranhei isso, porque eu não estava no meu período menstrual e nem estava pra vir.
Uma semana depois meus seios começaram a doer bastante. E eu desconfiei estar grávida.

Fiz um exame de farmácia e deu positivo :)
Descobri que eu estava grávida com 5 semanas de gravidez. 

11/11/2010

Após o positivo do teste de farmácia, fiz o exame de sangue. Vc tem a opção de ir na GP (clínico geral) e fazer a consulta e ela dá a requisicão para o exame de sangue e não é preciso pagar pelo exame. E após o exame você vai no retorno da consulta para pegar o resultado com ela. Ou então fazer como eu fiz, ir direto no laboratório e pedir para fazer o exame particular e tem que pagar $20 por ele. E quando for na GP ela já vai ter o resultado do exame.

O exame aqui não dá como resultado "positivo ou negativo" eles fazem a contagem de HCG, e pela quantidade mostra se está grávida ou não


Fui na médica e ela me disse que estava tudo certo com meus exames, e que eu estava de 5 semanas. Me deu ácido fólico para tomar e disse que era pra voltar lá com 12 semanas para fazer o primeiro ultrassom, que seria para ver se tem síndrome de down. Ela me disse que se o bebê tivesse alguma síndrome, eu poderia optar por abortar. (Infelizmente na NZ o aborto é legalizado) E seria feito mais um ultrassom entre 18 e 20 semanas para ver o sexo. Com 12 semanas também se tem direito a midwife (uma enfermeira obstétrica e também parteira), que acompanha você e sua gravidez. No Brasil existem as Doulas. 


Eu liguei para a midwife ainda com 5 semanas para conferir se ela teria disponibilidade para quando eu completasse 12 semanas e então agendar com ela. E ela me disse que poderia começar a me visitar já na semana seguinte. O nome dela é Wendy.

A midwife ia na minha casa fazer as visitas, me fazia perguntas, media a pressão, escutávamos o coraçãozinho do bebê, me entregava uma fita pra fazer xixi, a "Urine test strip" e nessa fita se vê se tem infecção, sangue na urina, proteína, glicose, etc. Você faz xixi na fita e entrega de volta para a midwife e ela compara as cores da sua fita com as cores da embalagem e te dá os resultados. 

Urine test strip

 Ela preenchia esse caderno, o "maternity notes" que era meu caderno da gravidez, contendo todas as informações sobre mim e sobre a minha gravidez. Todos os exames ficavam arquivados e etc.



 6 semanas - tive uma crise de cólica renal (a última tinha sido aquela em Blenheim). Everton me levou pro hospital e eles duvidaram da minha dor, achando que poderia ser uma gravidez ectópica, e me disseram que iriam fazer um ultrassom. Mas me informaram que o aparelho de ultrassom do hospital não estava muito bom, e que se a médica não conseguisse ver certinho a localização do feto, eles me mandariam pra Invercagill. Se ela conseguisse ver, do mesmo jeito eu iria fazer um ultrassom formal no dia seguinte no medical. Pra nossa sorte ela conseguiu ver e o feto estava no útero bem certinho. E nós também vimos um girininho que se mexia pra caramba e ficamos super felizes :)

No dia seguinte pela manhã uma médica foi até o quarto e perguntou se eu permitia que ela fizesse um outro ultrassom na minha barriga, pois ela nunca tinha feito um e queria treinar. Ela ficou lá mexendo na minha barriga com o aparelho por uma meia hora, analisando tudo. Depois disso eu fui no Medical Centre fazer o ultrassom formal. 

Primeiro ultrassom - 6 semanas


Lá elas me informaram que eu já tinha direito a saúde gratuita (tinha 2 anos de visto válido no passaporte) e me devolveram o dinheiro da consulta com a médica, pois me cobraram e não era pra cobrar. E eu teria que pagar os 2 primeiros ultrassons e a partir do terceito seria grátis. Como eu tinha direito, de $235 eu pagava apenas $35.
 Normalmente são 3 durante a gravidez inteira, eu fiz mais que isso por causa das vezes que eu passei mal.

Com 6 semanas também, eu comecei a enjoar e vomitar muito. Eu vomitava o dia inteiro, passava mais tempo no banheiro do que no resto da casa. Quando Everton saia pra trabalhar eu estava no banheiro vomitando e quando ele voltava, eu estava no banheiro vomitando. Vomitei o dia todo até o quarto mês de gravidez, quando os enjôos começaram a diminuir. Até o quarto mês de gravidez eu emagreci ao invés de engordar. E fiquei muito preocupada com isso, mas a médica e a midwife disseram para não me preocupar, pois as vitaminas e nutrientes iriam primeiro pro bebê e depois pra mim. 

Eu me inscrevi no site http://brasil.babycenter.com/ e recebia boletins semanais sobre a evolução do bebê e tudo que estava acontecendo comigo e o meu corpo. Era muito emocionante quando cada boletim chegava. Eu lembro que quando eu li um boletim (não me lembro qual a semana) de que o cérebro do bebê começaria a se desenvolver, naquela semana eu orei muito para que se desenvolvesse perfeitamente conforme a vontade do Senhor. E a cada boletim semanal era uma nova emoção :)

9 semanastive um sangramento e liguei apavorada pra midwife, ela me perguntou se o sangue era vermelho ou marrom, respondi marrom e ela me disse que não era motivo pra se preocupar, que era apenas sangue velho saindo. Mas que era pra mim ir no hospital que ela iria lá pra gente verificar. Fiz isso e então ela pediu um novo ultrassom. E então constataram que tinha um sangramento de placenta, ou sangue na placenta, algo assim, não lembro com certeza.




 12 semanas e 5 dias -  Fiz o ultrassom e deu tudo normal, nenhuma síndrome. 



Para assistir o vídeo do ultrassom, clique aqui

Quando sai do Medical, fui no Fresh Choice com uma amiga, e ao subir a rampa do mercado eu me senti mal e pedi a ela um tempo para respirar. Prosseguimos, e já dentro do mercado eu me senti mal e desmaiei, minha amiga não estava tão perto de mim, então quando ela me viu caindo só deu tempo de ela vir e colocar a mão dela no chão para que eu não batesse com a cabeça no chão. Chamaram a ambulância e me levaram para o hospital, fiquei a tarde lá e voltei pra casa a noite. Estava me sentindo muito fraca e comecei a tomar Elevit (vitamina para gestantes).

18 semanas e 5 dias - Fizemos o ultrassom para saber o sexo do bebê. A médica estava fazendo o ultrassom, e medindo aqui e medindo ali, e nada de falar sobre o sexo, e mexia na barriga inteira e nada, até que ela disse: É, acho que esse bebê está querendo fazer segredo. Então ela me disse para ir ao banheiro fazer xixi, e esvaziar a barriga pra ver se ele se mexia e mudava de posição. Fiz isso e disse a Deus: Senhor, se for possível, nos mostre o sexo do nosso bebê hoje. Voltei e deitei na cama, e ela colocou o negócio do ultrassom na minha barriga de novo, e já vimos um pintinho lá, hehe... Eu e Everton nos olhamos e não falamos nada, mas pensamos a mesma coisa. Então a médica disse: It's a boy :)


pezinhos


21 semanas - Comecei a sentir Davi se mexer :)

23 semanas - A fita apresentou uma leve infecção na urina. A midwife me pediu para tomar suco de cranberry que é ótimo para infecções urinárias.

25 semanas - Estava com muita dor abdominal e pra checar se a placenta não teria deslocado, fizeram outro ultrassom. 



26 semanas - Chá de bebê



27 semanas - Comecei a não enxergar direito, tinha um ponto luminoso bem no meio do meu olho que não me deixava enxergar direito. A midwife foi me ver, e fiz xixi na fita e deu que tinha proteína demais na minha urina. Eu estava então com 2 sintomas de pré-eclampsia. Os exames apresentaram um pouco de anemia e comecei a tomar ferro.

30 semanas - Fizemos um book da gravidez


 para ver o book todo clique aqui

31 semanas - Mãos inchadas e proteína demais na urina.

32 semanas - A fita mostrou glicose alta.

33 semanas - A fita mostrou glicose mais alta ainda e proteína demais na urina. Fiz exame pra checar diabete. Tomei uma garrafa de um líquido horroroso. 

35 semanas - Azia demais e refluxo. Comecei a tomar ranitidina e gaviscon. Comecei a ter muita dor na minha costela abaixo do seio esquerdo. Wendy, minha midwife me contou que ela entraria de férias por 1 mês e eu seria atendida pela substituta dela, a Suzanne. Fiz um ultrassom.



37 semanas e 5 dias - Visão nublada com pontos luminosos. Pressão 138/87. E a midwife me aconselhou a ter meu parto em Invercagill.

38 semanas - Pressão 150/88. Mãos e pés um pouco inchados. A fita mostrou proteina elevada e sangue na urina. E Davi, que sempre se mexia pra caramba, já não se movimentava mais com frequência, eu sentia muito pouco movimento dele. A midwife ligou para um obstetra em Invercagill e ele pediu para eu ir pra lá no dia seguinte, que ele iria me ver ao meio dia. 

05/07/2011

Chegamos ao hospital na hora marcada. Eu já estava me sentindo super mal, o laudo diz que fui admitida no hospital com: pressão alta, visão nublada, atividade uterina irregular, proteína e sangue na urina, e pálida. Everton me colocou numa cadeira de rodas e me levou pra maternidade do hospital. Nos receberam super bem e nos colocaram em um quarto. Me encheram de monitores (pressão, coração, contrações, etc). Me deram almoço. 

14:20 - O obstetra me examinou, tinha apenas 1,5 centimetro de dilatação, e o bebê não tinha descido. Ele disse que eu iria fazer aguns exames, e que provavelmente ele teria que induzir meu parto naquela noite ou na manhã seguinte, mas que seria mais provável na manhã seguinte. 

O médico escreveu: 



15:45Fizeram um ultrassom, e a médica disse que não conseguia localizar os pés do Davi, pois um estava super enfiado no meu estômago e o outro na minha costela.

16:40 - Saiu o resultado dos exames e o obstetra foi até o quarto e disse que eles precisavam induzir o meu parto naquele momento. Ele não nos contou, mas os exames confirmaram HELLP síndrome (HELLP é a sigla usada para descrever a condição de paciente com pré-eclâmpsia grave que apresenta hemólise (H), níveis elevados de enzimas hepáticas (EL) e contagem baixa de plaquetas (LP).) Everton pegou a câmera para bater fotos e filmar.

17:00 - Estouraram a minha bolsa, com um instrumento parecido com uma agulha de crochê só que mais comprido. Eu senti um pouco de dor pra estourar, mas nada absurdo. Minha midwife não foi comigo para Invercagill, mas telefonou para uma de lá me acompanhar. 
Não senti nenhuma dor, nenhuma contração. Apenas uns beeps nos monitores (minha pressão subiu e os batimentos do Davi caíram). E então mandaram chamar o obstetra. Ele chegou lá, olhou os monitores e me disse que seria preciso uma cesárea de emergência. Eu comecei a me sentir mal, e não conseguia mais entender direito o que eles falavam. Pedi ao Everton para não sair de perto de mim, pois eu estava com medo e também não estava mais raciocinando em inglês. Foram me levando numa maca, Everton acompanhando. Anestesista, obstetra, midwife e enfermeiras acompanhando e conversando. Eu vendo pontos luminosos. Entramos na sala e não vi mais o Everton. E minha visão estava muito nublada, então comecei a chamar: amor, amor, amor... e nada de resposta. Lá de fora Everton ouvia meus gritos e não podia fazer nada, então começou a chorar. Alguém me disse que assim que possível deixariam ele entrar. (Depois nos explicaram que eu ou Davi poderia morrer, ou os dois, e por isso Everton não poderia entrar)

17:29 - Nasceu Davi :) de 38 semanas, pesando 3.900kg e 49cm. 

Nos informaram que ele não descia porque estava com 3 voltas de cordão umbilical no pescoço, e também por isso não estava mais se movimentando.

Everton já tinha entrado e eu lembro de ter visto meu filho de cabeça pra baixo pendurado na mão no médico. E então não lembro de mais nada, comecei a passar mal. Chamaram Everton para cortar o cordão umbilical, e levaram eles pra sala de observação para me esperar lá. Mandaram Everton tirar a camisa e ficar pele a pele com o Davi, porque eu estava passando mal e não podia fazer isso.

18:15 - Fui pra sala de observação, apagada. O médico disse pro Everton que eu tinha passado mal e tinham me dado uma medicação super forte e eu ia ficar apagada por um bom tempo. Então a midwife e o Everton colocaram Davi pra mamar em mim. Everton que segurou ele. E pra surpresa da midwife, ele mamou por 1 hora. Ela disse que em todos os anos de profissão nunca tinha visto um bebê mamar tanto.


19:15 - Davi acabou de mamar e nos levaram para o quarto.

Fiquei 2 dias meio apagada e não tenho muitas lembranças desses 2 dias. Everton colocou a primeira fralda, primeira roupinha, etc. Não temos fotos do parto, a primeira foto dele foi pesando


Eu sempre imaginei que tirariam Davi da minha barriga e entregariam ele nos meus braços... Não foi assim que aconteceu, mas louvo a Deus que estamos nós dois vivos :)

Hoje ele já está com 3 anos e 8 meses


A midwife nos acompanhou até 6 semanas após o parto. Após essas 6 semanas uma enfermeira do Plunket começou a acompanhar Davi, e vai acompanhá-lo até ele completar 5 anos. Esse é o livro do acompanhamento:



 Davi tem médicos, hospitais e até remédio de farmácia de graça até os 5 anos. Durante 6 semanas me deram uma cleaner pra limpar a minha casa, uma vez por semana. Durante 6 semanas me deram comida congelada. Deram psicóloga para garantir que eu não tivesse depressão pós-parto. Recebi visitas da central da família. Como não temos família aqui, e os amigos todos trabalhavam, me ofereceram até alguém para dirigir pra mim, para ir no supermercado ou qualquer lugar que eu precisasse. O plunket oferece também os grupos de amamentação e conselheiras de amamentação.

Em relação a midwife, médicos, hospitais e governo; eu tive uma ótima experiência com um ótimo atendimento em toda a minha gravidez até o parto e pós-parto, e não tenho do que reclamar.

Confira também outras experiências de brasileiras na Nova Zelândia:


Parto normal no hospital de Queenstown - 

Parto normal no hospital de Invercagill - 





terça-feira, 3 de março de 2015

DICAS PARA FACILITAR A VIDA






Vire a torradeira e coloque o queijo em 
cima do pão


Frite o ovo dentro de uma rodela de cebola











Porta livros de parede













Adesivinho de anotações para aparar o pó causado pela furadeira




Tampinha de ketchup na ponta da mangueira do aspirador pra limpar teclados, microfones, etc







Garrafa pet para regar a grama




Faça um círculo no meio da comida para esquentar ela toda no microondas



















Chapinha de cabelo para passar golas




Colocar o celular dentro de uma jarra de vidro amplifica o som do celular



Passando roupa sem ferro




Molhe um papel toalha e coloque ao redor da garrafa, coloque no freezer e após 15 minutos ela estará gelada.




Coloque um elástico na lata de tinta para limpar o pincel, não suja a lata toda e assim economiza tinta.




Coloque um tecido fino, tipo fralda, na ponta da mangueira do aspirador para catar objetos pequenos.




Para prevenir nós nas extensões






Suporte de copos










Para limpar o microondas: Coloque uma tijela com metade de água e metade de vinagre para ferver no microondas. Vai amolecer toda a sujeira.




Macarrão de piscina



Para proteger os CDs




Amplificar o som do ipad, iphone, ipod, etc










Cama para gatos







Segunda parte em breve...